fevereiro 26, 2021

Estudantes iniciam ano letivo com aulas presenciais e online


O retorno as aulas presenciais, pelo menos em parte, já é uma realidade para escolas públicas e privadas neste ano. E o ensino híbrido é uma tendência. Nesta modalidade, as crianças e adolescentes são divididos em grupos, com aulas presenciais e online para garantir maior distanciamento social.

Mas, para alguns educadores, esse modelo pode ampliar as desigualdades presentes na educação brasileira. Catarina Almeida Santos, professora da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília e integrante da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, afirma que nas escolas privadas, o processo formativo remoto oferece ao aluno melhor estrutura e condições de acompanhamento, diferente da rede pública.

Várias escolas particulares investiram no ensino híbrido. Priscilla Mazzeti, diretora de uma escola particular no Distrito Federal, afirma que as famílias a tiveram a opção de decidir a modalidade de ensino.

Flávia Mattos, de Aracaju, Sergipe, acompanhou a experiência a distância da filha em 2020. Ela optou pelo retorno às aulas, de forma escalonada, da Gabriela, de 14 anos. Ela conta que a ansiedade da filha foi um fator para definir pelo retorno (presencial).

Já o filho de Sheila Sales, Benjamim, de seis anos, estuda em uma escola pública na Cidade Ocidental, em Goiás. Ela conta que o ensino foi muito precário em 2020 com as atividades remotas. Mas diz que não se sente segura em autorizar a volta do filho, mesmo se o município oferecer aulas presenciais.

Em Pernambuco, por exemplo, o ensino médio estadual será retomado de forma híbrida, à escolha de cada família. Já no ensino fundamental e infantil, as aulas continuarão de forma remota.

*Com informações da Rádio Nacional em Brasília – Foto: EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *