junho 2, 2020

Mais de 11 mil brasileiros já foram repatriados por causa do coronavírus


Partiu de Honduras um dos mais recentes voos que trouxeram brasileiros repatriados de volta ao Brasil devido à pandemia do novo coronavírus. Em um voo fretado, o Itamaraty embarcou por lá 39 brasileiros, além de 10 uruguaios e cinco chilenos. Todos pousaram em São Paulo.

Quando ainda nem era pandemia, alguns brasileiros já enfrentavam dificuldades para retornar ao país: foi assim com os que estavam em Wuhan, na China, local onde surgiram as primeiras contaminações do coronavírus entre humanos. A Força Aérea Brasileira trouxe 34 brasileiros ao país, e ficaram isolados por 18 dias na base aérea de Anápolis, interior de Goiás.

De lá para cá, muitos voos passaram a ser cancelados, e a maior parte dos países adotou políticas de fechamento de fronteiras e espaços aéreos para conter o nível de contaminação. Segundo o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, já foram mais de 11,8 mil brasileiros repatriados pelo Itamaraty, em voos fretados ou comerciais. Ainda faltam quase 6 mil, mas agora só é possível em voos fretados pelo governo brasileiro, o que o ministro considera um desafio.

O fretamento de voos e ônibus pelo Itamaraty foi responsável pela vinda de quase 2 mil pessoas, de acordo com o órgão, desde 25 de março até a noite dessa quarta-feira. Esse número inclui 59 pessoas trazidas do Peru em um voo da FAB.

Nessa quarta-feira, pousou em São Paulo o quinto voo fretado pelo Itamaraty. Ao todo, 127 brasileiros que não conseguiam voltar para casa, retidos no Egito, conseguiram pousar no Brasil.

Ernesto Araújo destacou que o ministério vai dar assistência e continuar em operação para trazer de volta os que ainda aguardam o retorno ao país. Segundo ele, Portugal concentra o maior número de brasileiros nessa espera. De lá, já foram repatriados mais de 6 mil cidadãos, e ainda faltam cerca de 1,3 mil.

Os brasileiros que desejam retornar ao país devem preencher um formulário online que o ministério disponibilizou no site ou nas redes sociais do Itamaraty. Assim, é possível manifestar o desejo e incluir dados de localização e contato.

*Com informações da Rádio Nacional em Brasília/EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *