novembro 30, 2020

Mais de 68 mil obesos fizeram cirurgia bariátrica no Brasil em 2019

 

A servidora pública Lívia Ramalho foi uma mulher magra até os 27 anos. Pesava em média 59 quilos com 1,78 de altura. Mas, após um tratamento médico, ela engordou cerca de 70 quilos. Em 2019, Lívia decidiu passar pela cirurgia bariátrica para redução de estômago.

Lívia e outros mais de 68 mil obesos realizaram a cirurgia bariátrica e metabólica no Brasil em 2019. A maioria dos procedimentos – mais de 52 mil – ocorreu na rede particular, pagos por planos de saúde, e por meio de videolaparoscopia.

Já no Sistema Único de Saúde (SUS), apenas 806 cirurgias foram realizadas utilizando essa técnica minimamente invasiva. No total, 11 mil reduções foram realizadas na rede hospitalar pública. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (27) pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

O subcoordenador da entidade, Ricardo Cohen, explica que esse tipo de cirurgia ajuda no controle de vários problemas de saúde, entre eles diabetes e hipertensão.

A consequência mais comum da cirurgia bariátrica e metabólica é a desnutrição. Por isso, os médicos costumam receitar a ingestão de suplementos vitamínicos. As reações variam de acordo com o paciente. Em caso de indicação cirúrgica, o ideal é conversar com o médico e tirar todas as dúvidas.

*Com informações da Rádio Nacional em Brasília/EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *