maio 13, 2022

Politicagem e incompetência generalizadas

Colunista Ruy Matos

O Esporte Clube Bahia, nos últimos anos, verdade seja dita, passou por situações vergonhosas que deixaram a sua gigantesca torcida chateada e bastante envergonhada.

Pelo visto, muitos não querem enxergar, os dois primeiros jogos do “ Baianão 2022 “ confirmam as minhas palavras. 

Com contratações de qualidade duvidosa, sobretudo a partir de 2020, o presidente Guilherme Belintanni é o grande responsável pelos vexames do `´ tricolor de aço “ nos últimos três anos.

Os erros de 2020 foram repetidos em 2021 e parecem ter sido copiados para o ano entrante sem um mínimo de bom senso em muitas contratações. Os dois jogos do fraco campeonato baiano, mesmo com um time horroroso de transição, desde 2020, confirmam que os responsáveis ou responsável pelas contratações estão ou está fazendo certas coisas e não as coisas certas.

O Esporte Clube Bahia deve tomar vergonha na cara e voltar a ser o `´ tricolor de aço “ de décadas recentes (70, 80 e 90), participando de competições estaduais, regionais e nacionais com uma mentalidade de um time realmente vencedor.

Enquanto os grandes Cruzeiro, Vasco da Gama e Grêmio, apenas três citados, reforçam as suas equipes para uma “ Série B 2022 “ altamente competitiva, os dirigentes do Bahia continuam contratando jogadores de qualidade duvidosa (prefiro não citar nomes, pois, pessoalmente, nada tenho contra os mesmos).

Ganhar o “ Baianão 2022, “ conquistar o bicampeonato da `´ Copa do Nordeste 2022 `´ e  retornar  à “Série A de 2023 “devem ser prioridades absolutas. Contudo, a  torcida do “ time que nasceu para vencer “ está revoltada com o sofrível futebol de um `´ expressivo número de jogadores profissionais. “

Marketing diário não forma grandes equipes e o Bahia, essencialmente, é um clube de futebol com dois títulos nacionais e participações em três “ Libertadores da América.“ Os dirigentes do tricolor soteropolitano estão expondo o Bahia a momentos de grande vergonha para os seus apaixonados torcedores espalhados por todo o mundo.

O atual time do Bahia é, tecnicamente, limitado, competindo, sobretudo na “ Copa do Nordeste 2022, “ com equipes da “ Série A 2022 “(Fortaleza e Ceará). O Bahia precisa de reforços de melhor qualidade técnica e os dias passam rapidamente.

A história gloriosa do Bahia está sendo manchada por políticos que usam o nome do  clube para interesses pessoais, de toda a sorte, trazendo muita tristeza e vergonha a cada verdadeiro torcedor do  tricolor soteropolitano.

Janeiro está indo embora e que venham meses melhores e com um futebol profissional digno de um referencial do futebol nacional desde 1931. No mais, tenho dito !

Ruy Matos: presidente, editor e colunista do A FOLHA DE NORDESTINA. Jornalista e comentarista esportivo na Região do Sisal Baiano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.