outubro 25, 2020

Redes sociais viram palanque com as restrições impostas pela pandemia


O início da campanha eleitoral para as eleições municipais foi marcado pela militância dos candidatos e candidatas nas redes sociais. Em função da pandemia do coronavírus, novas regras foram incorporadas e, além das proibições já vigentes de acordo com a legislação eleitoral, também não estão permitidos no Rio de Janeiro, comícios, passeatas e qualquer atividade que gere aglomeração.

O Tribunal Regional Eleitoral reforça o pedido à população para que colabore com o monitoramento das campanhas. O juiz auxiliar da Corregedoria do TRE e coordenador de fiscalização da propaganda eleitoral no estado, Luiz Marcio Pereira, explica que o trabalho começou já na pré-campanha eleitoral.

Em função da pandemia, um tipo de brinde ilegal está sendo comum neste ano, as máscaras de proteção. O Juiz alerta sobre o quanto essas práticas interferem no direito de escolha da população.

O coordenador de fiscalização da propaganda eleitoral do TRE acrescenta que o Ministério Público também pode ser acionado. Nas situações que envolvem impedimento de campanha e cerceamento por parte de grupos criminosos, também é possível, no Rio de Janeiro, usar o disque denúncia.

As denúncias podem ser feitas, inclusive de forma anônima, no próprio site do TRE, no espaço chamado de e-denúncia. O tribunal pede, se possível, que o denunciante anexe provas como fotografias, arquivos de vídeo e prints para facilitar a apuração. 

É possível informar sobre qualquer irregularidade até o dia das eleições, marcadas para 15 de novembro no primeiro turno e 29 de novembro para o segundo turno, inclusive nos casos de divulgação de informações falsas em grupos de whats app e redes sociais contra candidatos e candidatas, as chamadas fake news.

*Com informações da Rádio Nacional/RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *