fevereiro 17, 2020

Sete anos após incêndio na Boate Kiss, primeiro julgamento deve ser realizado em março


O incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, que matou 242 pessoas, completa sete anos nesta segunda-feira (27). Até agora ninguém foi julgado. A Justiça de Santa Maria definiu para 16 de março a data do primeiro julgamento de três dos acusados: Mauro Hoffman, sócio da boate, Luciano Bonilha Leão, integrante da banda Gurizada Fandangueira, e Marcelo de Jesus dos Santos, vocalista do grupo.

O quarto réu, o empresário e também sócio da boate, Elisandro Spohr, recorreu para ser julgado em Porto Alegre. A data já foi remarcada duas vezes. O Ministério Público Estadual entrou com recurso solicitando que Elisandro Spohr seja julgado em Santa Maria, na mesma data em que os demais réus.

A escritora Daniela Arbex, autora do livro “Todo dia a mesma noite”, que conta a tragédia na Boate Kiss, conversou com a Rádio Nacional e afirma que é preciso resgatar histórias que não devem ser esquecidas para que a justiça seja feita. Nesta segunda-feira (27), data em que a tragédia na boate Kiss faz sete anos, familiares prestam homenagens às vítimas, como acontece todos os anos desde 2013. A mais tradicional é a vigília.

*Com informações da Rádio Nacional em Brasília/EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *