setembro 27, 2020

Quase 90% das escolas municipais não têm previsão de retorno às aulas


As escolas de São Paulo e do Rio Grande do Sul foram autorizadas a reabrir nessa semana. A rede pública e privada paulista, apenas para aulas de reforço e atividades esportivas. Entre os colégios gaúchos, apenas os particulares podem retomar as atividades presenciais. No Amazonas, a volta às aulas nas escolas particulares foi em julho e, nas públicas, em agosto.

Apesar dessas permissões de reabertura, a grande maioria das redes municipais de ensino do Brasil não tem uma data definida para o retorno das atividades presenciais. Ou seja, 3.769 ainda não têm essa previsão. Esse número corresponde a 89% do total da rede municipal pesquisada pela Undime – União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, junto com Unicef – Fundo das Nações Unidas para a Infância e Itaú Social.

Esse levantamento foi realizado entre os dias 7 e 18 de agosto por meio de questionário on-line e 4.272 redes de ensino responderam.

O presidente da Undime, Luiz Miguel Martins, detalhou quantos alunos devem ou não voltar às aulas em breve, de acordo com o estudo.

Além da maioria das redes municipais não ter previsão de retorno das aulas, muitas ainda não começaram a construir os protocolos para a reabertura das atividades, segundo Luiz Miguel.

As redes municipais de ensino com mais de mais de 100 mil habitantes são as que estão com os protocolos de reabertura mais adiantados. Elas deverão seguir medidas sanitárias, de saúde, pedagógicas, de segurança e orçamentárias. Já as cidades com até 10 mil moradores ainda não iniciaram seus planos de retorno.

*Com informações da Rádio Nacional em Brasília/EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *